AR exige luz em bairros clandestinos
01-07-2017 Expresso
*

Na periferia de Lisboa, centenas de pessoas vivem sem luz há meses. Solução está à vista.
Os cerca de 200 moradores do bairro da Torre, em Loures, vivem sem luz desde outubro, quando a EDP pôs fim às puxadas ilegais. E centenas de pessoas de outros bairros clandestinos da periferia de Lisboa, como o bairro da Jamaica (Seixal) e o 6 de Maio (Amadora), estão também na iminência de ficar às escuras.
Veja a audiência aos moradores destes bairros na AR AQUI

Depois de ter ouvido, em maio, as comissões de moradores daqueles bairros, o Parlamento aprovou ontem por unanimidade uma resolução que exige ao Governo que adote com urgência medidas para assegurar a existência de eletricidade, de forma a "promover a tranquilidade, a segurança e condições de vida e saúde com um mínimo de dignidade". "Enquanto estas pessoas não forem realojadas, é urgente encontrar uma solução que lhes permita ter contratos individuais e beneficiar da tarifa social. No bairro da Torre, as pessoas estão a viver sem frigoríficos, sem televisões. É a miséria absoluta, como no tempo do Charles Dickens", descreve a deputada Helena Roseta, coordenadora do Grupo de Trabalho da Habitação.

O secretário de Estado da Energia já está a negociar uma solução com a EDP, a Entidade Reguladora e os municípios abrangidos.

Veja o texto do Projecto de Resolução 950/XIII aprovado pela AR AQUI

Notícias